terça-feira, 16 de março de 2010

Um Pecado Maior que o Suicídio??!!!!

Um Pecado Maior que o Suicídio?!


Tenho escutado muitos sermões durante toda a minha vida de cristão, e isso corresponde a 25 anos dela, mas nunca tinha ouvido falar de um pecado maior que o suicídio, com exceção do pecado de blasfêmia contra o Espírito Santo, que não terá perdão nem neste mundo nem no porvir como está escrito em Mt.12.32.

Na verdade, se trata de uma interpretação de um texto que faria,segundo a interpretação do pregador, ( A ética me impede de revelar o nome do pregador) uma menção a um suicídio. O texto bíblico citado é Mt. 18.6 : Qualquer, porém, que fizer tropeçar a um destes pequeninos que crêem em mim, melhor lhe fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma grande pedra de moinho, e fosse afogado na profundeza do mar, TRA. Os textos paralelos de Mc. 9.42 diz: ... melhor lhe fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma grande pedra de moinho, e fosse lançado no mar, TRA. E Lc. 17.2:... Melhor fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma pedra de moinho, e fosse atirado no mar, do que fazer tropeçar a um destes pequeninos, TRA.
Eu havia lido estes textos e nunca tinha interpretado e nem encontrado essa ideia nesses textos. Sempre imaginava uma atitude tomada por uma outra pessoa, e nunca um suicídio.
O texto apresentaria então um pecado maior que o suicídio, o de fazer tropeçar um dos pequeninos que crêem em Jesus.

O meu espanto por tal interpretação me fez buscar em outras versões os mesmos textos e ver se apresentavam de fato aquela ideia, que me pareceu naqueles textos da Versão Revista e Atualizada, um interpretação forçada.

A Versão Revista e Corrigida trás Mt. 18.6 assim:... melhor lhe fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma mó de azenha, e se submergisse na profundeza do mar; Mc.9.42:... melhor lhe fora que lhe pusessem ao pescoço uma grande pedra de moinho e que fosse lançado no mar, e Lc. 17.2: Melhor lhe fora que lhe pusessem ao pescoço uma pedra de moinho, e fosse lançado ao mar, do que fazer tropeçar um destes pequenos. Os dois textos de Marcos e Lucas usam a palavra “pusessem”, deixando claro a ação de mais de uma pessoa executando a ação, e portanto eliminando a possibilidade de suicídio.

A Tradução na Linguagem de Hoje apresenta os referidos textos: Mt.18.6: Quanto a estes pequeninos que crêem em mim, se alguém for culpado de um deles me abandonar, seria melhor para essa pessoa que ela fosse jogada no lugar mais fundo do mar, com uma pedra grande amarrada no pescoço, Mc.9.42:... seria melhor para essa pessoa que ela fosse jogada no mar, com uma pedra grande amarrada no pescoço e Lc. 17.2: Seria melhor para essa pessoa que ela fosse jogada no mar com uma grande pedra de moinho amarrada no pescoço do que fazer com que um destes pequeninos peque. Não há nenhuma possibilidade de interpretar esses textos com se referindo a um suicídio.

A Bíblia King James nos mesmos textos é assim: Mt.18.6: melhor lhe seria amarrar uma pedra de moinho no pescoço e se afogar nas profundezas do mar; Mc. 9.42:...seria melhor que fosse lançado no mar com uma pedra de asno amarrada ao pescoço e Lc. 17.2: Seria melhor que tal pessoa fosse atirada ao mar com uma pedra de moinho amarrada ao pescoço, do que induzir um destes pequeninos a pecar.
Nos textos acima também não se pode falar em suicídio, senão forçando uma interpretação de Mt. 18.6. A idéia contrária é reforçada em Marcos onde se diz: “pedra de asno”, que era uma pedra muito pesada, colocada sobre outra e que era puxada por um asno, para moer grãos. Era preciso mais de uma pessoa para mover essas pedras. Não dava para uma pessoa pendurar uma pedra dessas no pescoço e se suicidar, se atirando ao mar, mas seria jogado.

A Bíblia Boa Nova apresenta assim os textos: MT. 18.6: Todo aquele que fizer cair em pecado algum destes pequeninos que crêem em mim, melhor seria que atirassem essa pessoa para o fundo do mar com uma pedra de moinho ao pescoço; Mc.9.42: Mas todo aquele que fizer cair em pecado algum destes pequeninos que crêem em mim, melhor seria que atirassem essa pessoa ao mar com uma pedra de moinho atada ao pescoço e Lc. 17.2: Seria melhor para essa pessoa ser atirada ao mar com uma pedra de moinho amarrada ao pescoço, do que ela fazer cair em pecado um destes pequeninos.
Esses textos são semelhantes à Tradução na Linguagem de Hoje. A idéia de suicídio não pode ser nem cogitada.

Apenas um comentário de Mt. 18.6 na Bíblia de Genebra, que usa a versão Revista e Atualizada, faz menção ao suicídio, comentando esse texto. O que seria uma interpretação forçada.
Autor: Djalma Alves de Moura

Um comentário:

  1. n sei se vai ler mas se ler responda, sabe de algum significado que os crentes q n ler biblia colocaram pra quem usa predra no pescoço? chequei ate aki procurando sobre isso, vou salvar seu blog pra caso responda eu vim ver a resposta

    ResponderExcluir